KDM_'s Life











{julho 18, 2011}   Meu verdadeiro amor

Eu até tento gostar mais de algum humano do que eu gosto do meu gato, mas isso é praticamente impossível. Neste exato momento ele está deitado em uma cadeira o meu lado ronronando alto mesmo que eu não esteja fazendo carinho nele.
Tantos humanos vieram e tantos humanos se foram da minha vida, mas o gato ficou, sempre ao meu lado, quando eu o afagava com alegria ou quando eu estava chorando e ele dava voltas em meus pés ronronando como se quisesse dizer que tudo ficaria bem.
Ele gosta de me ouvir cantar, que por acaso é a atividade que eu mais gosto de fazer. Mesmo com a minha horrível voz, o felino ronrona e depois dorme enquanto eu canto.
Eu sei que sempre que alguém me ferir ou quando eu me sentir sozinha, eu posso vir e me deitar ao lado do meu companheiro peludo e ele não vai reclamar ou me criticar ele simplesmente fará de tudo para que eu me sinta bem. Ele divide a cama comigo quando estou para baixo sem que eu o leve ao colchão.
Dificilmente um humano conseguirá ser tão importante pra mim quanto meu gato, a tal da razão ás vezes atrapalha e então eu prefiro estar ao lado do puro emocional miau.
Dedico este post ao gato Bingo, que embora não possa ler, deve intender o quanto eu o amo.
(KDM_, segunda-feira, 18 de julho de 2011, num estado de alegria felina)

Anúncios


{julho 9, 2011}  

O que foi que aconteceu comigo? Cadê aquela Kira forte e cheia e confiança que eu fui há um tempo? Aquela que não tinha medo de quase nada? Aquela que nunca chorava? Aquela que escrevia “I’m the best” em todos os lugares sem nenhum pudor?
O fato é que agora eu só vejo uma Kira imbecil, que chora todos os dias antes de dormir, toma antidepressivos e se acha um lixo.

Não bastasse eu achar que faço tudo errado sempre ainda me dizem que eu estou fazendo cheia de maldade pra ferrar alguém, não importa o que acontece eu sempre sou a vilã, nunca me dão razão e sempre dizem que eu tramei tudo, mas eu não percebo isto antes que aconteça, eu simplesmente faço o que eu acho que é certo e no fim acabo como agora: chorando sozinha e escrevendo besteiras.

Talvez eu tenha um gene do mal ou algo assim, talvez eu seja um caso pra encaixar na teoria do Maquiavel de que o homem é mau por natureza.

O fato é que eu não quero machucar pessoas que não merecem ser machucadas e menos ainda quero machucar quem eu amo, mas se eu não consigo controlar este meu estúpido jeito de ser, o que eu deveria fazer? Provavelmente deveria me afastar de todo mundo, como era antigamente, mas agora eu tenho tanto medo de ficar sozinha, tanto medo, que chega a ser estúpido.
Não bastasse, perdi minha fé na música, perdi minha fé nos sonhos, não faz mais diferença alguma pra mim.
Eu sou a personificação do fracasso.

talvez eu já esteja sozinha.

(KDM_, 21:00, sábado, 09/07/2011, Umuarama, depois da revisão de véspera)



et cetera