KDM_'s Life











{julho 28, 2012}   Começando a entender o ditado

antes só do que mal acompanhado.

Hoje recebi uma notícia que me atingiu como um soco na cara, no começo fiquei depressiva e resolvi voltar pra casa à pé. No caminho comecei a engolir um choro que queria sair e o barulho ao fazer isso me lembrou um filhote de cachorro e me senti patética, foi quando o ódio começou a tomar conta de mim e eu troquei o estado depressivo pelo estado de ira.

Eu estava com tanta raiva que começou a ficar difícil respirar e quando comecei a fazer uma subida um pouco mais íngreme entrei em um ataque de asma, o primeiro desde muito tempo, tanto tempo que não sabia se tinha certeza de como controlar aquele ataque, a sensação foi tão desesperadora que achei que ia morrer, perdi completamente a noção do tempo e sentei na calçada tentando fazer tudo voltar ao normal.

Como estou postando aqui, vocês sabem que sobrevivi. Quando finalmente controlei o ataque de asma continuei no chão e chorei também por uma quantidade de tempo que eu não contei. Tudo isso por causa de um coração partido e de pessoas que se dizem meus amigos mas para os quais eu não deveria dar nenhum tipo de valor.

Quanto mais eu vivo com as pessoas e quanto mais afeição eu tenho ou passo pra elas, mais elas me desprezam e me deixam de lado e ainda exigem que eu tenha fé na humanidade, de que eu vou encontrar várias pessoas legais, mas sinceramente, minha esperança está moribunda e eu estou muito a fim de ter a “felicidade azul”.

Acho que a única razão pra minha esperança ainda não ter morrido é uma garota muito especial que (obviamente, porque eu nunca consigo felicidade plena) mora longe, amo-te Duyen.



et cetera